Exposição “Evolução: Portugal de Antes e Perspetivas”

De 1 de julho a 31 de agosto estará patente a Exposição “Evolução: Portugal de Antes e Perspetivas” no Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental – CMIA (Rua da Argaçosa).

Local: Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental – CMIA (Rua da Argaçosa)
Organização: Câmara Municipal de Viana do Castelo.
Parceria: Centro Ciência de Estremoz / Universidade de Évora.

Informações

Evento

de 01 de Julho de 2017
a 31 de Agosto de 2017

Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental

http://www.cmia-viana-castelo.pt/

 

Rua de Argaçosa
4900-394 Viana do Castelo

Artistas da Residência Artística – FIGAC 2017

Eleonora

Eleonora de Chiara, nasceu em Itália, e é finalista em Design e Comunicação. Teve conhecimento do FIGAC, através do site oficial da Universidade de Lisboa (ulisboa.pt). Preferencialmente, opta pelos trabalhos manuais e pelo abstrato. Presentemente, o seu trabalho contempla principalmente a cerâmica, em parte, devido à inspiração sentida quando chegou a Portugal, para continuar os estudos e conheceu os azulejos portugueses, e também devido ao gosto pelas artes plásticas, criando assim, a sua própria versão de azulejos.


Frederico

Frederico Almeida, é licenciado em Desenho desde 2013, pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Em 2016, expôs uma obra individual “Entre as Árvores”, na MU.SA – Museu das Artes de Sintra, em Sintra. Como exposições coletivas realizou em 2016 – I Bienal de Desenho, Solar dos Zagallos, Almada 2015 – Take Over Quatro, Cidadela Art District, Cascais 2014 – Open Studio, Cidadela Art District, Cascais 2014 – Mostra’14, Central Station, Lisboa 2013 – 18ª Galeria Aberta, Escudeiros – Galeria Municipal, Beja. Como experiências em Residências Artísticas, participou desde 2014 até 2016 na Pousada Cascais, Cidadela Art District – Studio Paulo Brighenti 2016 Jardim das Pedras, Atelier Maria Lino – Associação Luzlinar, Feital.

isabel

Isabel Sousa, é licenciada em Teatro desde agosto de 2015, mas com experiência desde 2012, tem desde então, trabalhado em várias companhias de teatro e projetos artísticos independentes. Fez parte de uma residência artística no Centro de Artes de Lisboa, e em março na Jazzy Dance Studios. Além da sua formação académica em solo nacional, assim como em Erasmus, tem no seu percurso o teatro, os audiovisuais e a dança, como disciplinas centrais, que também compõem a sua base de conhecimento. É fascinada em trabalhar em colaboração com outros artistas, e construir algo comum baseado numa experiência conjunta, sendo esta uma fonte de inspiração.

 

Joana

Joana Patrão, é licenciada em Artes Plásticas, no ramo da pintura, pela Faculdade de Belas Artes na Universidade do Porto (FBAUP). Entre 2014 e 2016, deu continuidade aos estudos para a obtenção do Mestrado em Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, com o projeto de investigação teórico-prático: “A Paisagem enquanto experiência. Mar: Imersão e Viagem”.

 

Manuel

Manuel Terra da Mota Miranda Justo, iniciou em 2009, o curso de Técnico Profissional de Audiovisuais, na Escola Secundária Artística António Arroio. Iniciou atividade profissional em 2011, e mantém-se até ao presente, como parceiro na gestão de uma empresa de produção audiovisual e comunicação. Em 2012, deu entrada na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, para obter a Licenciatura de Pintura, formação esta, concluída no ano de 2016.

 

Michela

Michela Frontino, a sua formação passa pela conservação de bens culturais contemporâneos concluídos na Alma Mater, Universidade de Bologna em 2005, assim como a especialização académica em fotografia e design visual, obtido em 2009 na Nova Academia de Belas Artes em Milano – NABA. Tem experiência profissional, na catalogação informática de fotos artísticas e biográficas de Salvador Dalí, na Fundação Gala – Salvador Dalí, em 2009. Em 2010 participou no Contrasto – Projetos de fotografia em Milão e na Fundação de Veneza.

Exposição Residência Artística

Na passada sexta-feira, dia 2 de junho de 2017, ocorreu pelas 14h30 na Pousada da Juventude de Viana do Castelo, uma exposição que abrangeu diferentes vertentes artísticas, organizada pela turma finalista de Gestão Artística e Cultural da Escola Superior de Educação do IPVC. Nesta edição de 2017, a Exposição/Instalação “Obras dos Residentes III” contou com artistas provenientes de Portugal e Itália: Eleonora de Chiara, Joana patrão, Manuel Justo, Isabel Sousa, Frederico Almeida, Michela Frontino foram os artistas selecionados para participar na Residência Artística do FIGAC 2017. A exposição estará em exibição na Pousada da Juventude, em Viana do Castelo, até dia 8 de junho de 2017, a entrada é totalmente gratuita e pode ser visitada das 9 às 19 horas.

Painel 3 – FIGAC 17

Estudo de Público e Dilemas de Programação na Quinzena de Dança de Almada

Ana Macara

Portugal

Produção Cultural em Belém do Pará, Amazônia, Brasil: Uma análise do caso do Grupo de Teatro Palha

Tânia Cristina Lima dos Santos; Paulo Roberto Santana Furtado & Ivone Maria Xavier de Amorim Almeida

Brasil

Nessa Cidade Todo Mundo É d’oxum: a performance nas matrizes africanas no espetáculo O Auto do Círio em Belém do Pará

Francisco Edilberto Barbosa Moreira & Marckson Davi de Moraes Lisboa

Brasil

 

Painel 2 – FIGAC 17

Observatório de Políticas de Comunicação, Arte e Cultura da Universidade do Minho

Manuel Gama & Fernanda Pinheiro

Portugal

Patrocínio Cultural no Brasil: a utilização da Lei Rouanet como forma de fortalecimento de marca e legitimação social

Tatiana Rehbein

Portugal

Políticas Públicas para o Teatro em Portugal – desafios ao Estado, à sociedade e aos próprios artistas

Carla Magalhães

Portugal

Pulsar Viana

Sónia da Rocha

Portugal